sábado, 27 de fevereiro de 2010

O poeta se compondo na própria composição.

Sinta tudo o que puder
Diga tudo o que quiser
Sem pensar no depois
O amanhã é um tempo longe demais
Não tente segurar
O que não está ao alcance das mãos
Deixe fluir
Agora somos apenas nós dois
Nessa canção


O mundo inteiro adormece
Quando nada faz sentido
Quando tudo está errado
E as vidas se fazem em vão
Sentimentos sem rumo
Pessoas sem direção
Você me dizia que é preciso ir além
Mas além do quê?
Eu desconheço meus limites
Eu não sou aquilo que você vê
E tudo que eu preciso é de uma chance pra viver

Hoje o sol nasceu quadrado
no meu quarto
sou tão só que não me vejo
em um segundo tudo muda
dia vira noite e o amor se vai com a lua
forço um sorriso no espelho
pra parecer feliz
disfarço em mim mesmo
o que sou tão claro e transparente
que os olhos passam reto
e o que sinto
ninguém sente mais

Talvez eu não saiba dizer
O que preciso
Vai ver o ceu nao é azul como agente vê
O céu é apenas a cor da vida
Que eu preciso viver
E hoje posso abrir um, dos dois olhos.

'O poeta se compondo na propria composição
Pois a unica coisa no mundo
Que me coloca no rumo
É dividir a dor com o papel
O sentimento com a razão.'
Letra escrita por : Gabriela Ribeiro e Rodrigo Juraski

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faço os meus textos esperando reconhecimento, assim como todos que também tem um blog. Sem ser grosseira, se não for ler NÃO COMENTE! Estamos aqui para expor nossas idéias e eu tenho as mesmas intenções que você. Favor respeitar a regra (: Obrigada!