terça-feira, 28 de agosto de 2012

De volta pra casa.



Não sei como começar a falar sobre você. Talvez pelo tempo, talvez não. A verdade é que eu precisaria de uma vida inteira pra contar a nossa vida. Intenso, não? Mas agora já não é mais. Nunca mais será.
Horas, dias, meses, anos do seu lado, com você, por você, pra quê? Pra ir embora com a primeira pessoa que pudesse passar mais tempo com você do que eu. Poderia ser diferente, mas não foi. Como nunca é.
Cada parte de mim dói quando lembro tudo o que eu fiz por nós, todo o tempo que dediquei para o teu pranto e todo o colo que eu te dei. A única pessoa no mundo que sabia os segredos da caixa de Pandora. Jogou tudo fora, como se não fosse nada. Meu Deus, como eu não vi isso antes? Essa contradição que você se tornou! Seria tão mais simples...
A verdade é que todo mundo vai embora, mas eu acreditei em exceção, mas não era você, não havia de ser e nem será.
Poderíamos sentar no jardim e ver nossos filhos correndo enquanto falaríamos sobre os nossos casamentos ou o nosso universo, que sempre foi o mesmo. Mas tudo isso agora já não faz mais sentido. O que era pra ser história virou lembrança e no meu mundo você não cabe mais. Esvaziei meu coração de solidão, hoje eu quero só  o que traz paz.

Você nunca foi a minha casa, nem nunca será. Obrigada pelas memórias, isso é um Adeus.

sábado, 2 de julho de 2011

S de saudade.

Antes eram só dias cinzas me corroendo a alma, agora enfrento o sol na escuridão.
Eu preciso dizer o quanto penso em você, o quanto te quero, o quanto rezo para a tua paz existir ao meu lado, quero o seu abraço interminável, sussurros e te beijar sorrindo. Venha, volte, chegue, não se vá. Não quero te ver partir nunca mais!
Ainda que minutos se transformem em eternidade, com você o muito se torna pouco e sem você o tudo é nada. Eu preciso dizer que te amo. Eu te amo, amo, amo e amo mais que a mim mesma. Amo até não saber mais medir, até me perder em você. Amo até morrer de amor.
E não me basta te sentir todos os dias, bastaria ver o mundo dentro dos seus olhos e neles refletir a minha própria imagem como o seu mundo. O nosso amor durará para sempre e o nosso sempre, sempre vai existir. Não importa o que aconteça, é só de você que eu sinto saudades até não saber mais o que sentir. Você me dói demais.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Plano B.

É sexta-feira e eu estou só, vazia em meu quarto, pensando em você.
É sexta-feira e você está bebendo com os seus amigos, esquecendo de mim.
É uma terça cinza e eu sinto sua falta.
É uma terça ensolarada e você está fazendo qualquer coisa para não lembrar da minha existência.
É segunda-feira e eu estou lendo um livro que me faz lembrar de cada momento que vivemos.
É segunda-feira e você está jogando, e isso te faz não pensar em nada, além do jogo.
É quinta-feira e eu não saio de perto do celular, minha esperança me faz acreditar que em algum momento ele irá tocar e será você.
É quinta-feira e você nem pensou em me ligar, mas, não deixou de ligar para ela.
É sábado e eu estou chorando por saudades suas.
É sábado e você está de ressaca pela noite passada.
É quarta-feira e sempre faz um dia lindo, e eu não saio para aproveitar, com medo de que você apareça e eu não esteja em casa.
É quarta-feira e pra você é mais um dia comum, você não está pensando em ir me ver, está sempre ocupado com algo ou alguém.
É domingo e eu vou à igreja pedir para que você venha logo.
É domingo e você está assistindo TV e pensando em todos os seus outros planos.

São todos os dias, meses, anos, em que as horas se arrastam pra mim, mas, pra você nada muda. É comodo tentar negar minha existência e me procurar em outras pessoas, eu sei.
Não queira estar em meu lugar, apenas imagine o quanto é ruim nunca ser o plano A.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Eu não te quero mais.

Enquanto estive por tanto tempo, nos guardando e te esperando, você me iludia. Acreditei em suas palavras, pois, pensei que a beleza que havia nelas era só para mim. Mas como sempre os humanos provando sua podridão.
Pode ficar com o seu amor, ele já não é mais meu.
E nunca mais ousarei te procurar, você está ocupado demais com as "suas" garotas.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

14/12/2010

Eu estava no hospital de mortos, eles eram reais e ruins, ódio nos olhos e maldade no coração, rostos desfigurados. Mas, no meio deles havia uma mulher, com os mesmos aspectos, com uma diferença, eu pude sentir a bondade dentro de seu coração, que o ódio sufocara. Ela gritava, pois queria se libertar.
Fui em sua direção, ela olhou firmemente para mim e pegando na minha mão, entrelaçou seus dedos enrugados com os meus. Mulher nova- velha, o curto tempo fez sua vaidade morrer.
Ela então, por um momento tentou me por em seu lugar, matando-me, foi quando com dedos entrelaçados eu rezei "Pai nosso que estais no céu...", seus dedos foram apertando, esmagando os meus, com força, o rosto mudava, enquanto ela gritava, agora sentada em meu colo, como um bebê que busca proteção. Uma lágrima rolou dos olhos negros de ódio...
Enquanto eu rezava "Ave Maria, cheia de graça..."
Foi quando ela deu um último suspiro, e deixou aquele corpo enrugado. Eu pude ver sua alma se libertar, voava como vento leve...
Enfim em PAZ!


"Agora me sinto estranha, como se realmente tivesse acontecido..."

domingo, 12 de dezembro de 2010

Espero morta, encontrar alguém vivo. E renascer.

Enquanto vidas se fazem em vão, eu continuo aqui na contra mão, sem procurar, querendo encontrar, uma luz nessa escuridão. E é tão estranho tantas almas perdidas, e tudo depender de sintonia e um coração, e por fim, tudo mudar, e eu enfim, descansar.


Vou continuar rimando, até quando completarem a última rima por mim...